4ª Temporada


Procura incessante - Inquietação - O lar - Teliko - O campo onde eu morri - Sanguinário - Meditações sobre um Canceroso - Corações de pano - Tunguska - A pedra da morte I - Terma - A pedra da morte II - O mundo gira - Oração para um morto - Nunca mais - O homem do câncer - Lembranças finais - Desprezado - Lapso de tempo I - Lapso de tempo II - Sincronia - Insignificâncias - Não restou mais nada - Elegia - Demônios - A maior das mentiras

 

Procura incessante

 

Inquietação

Eu simplesmente acho esse episódio DEMAIS!!! Não sei porque gosto tanto dele. Mas gosto!!! Sempre gostei. Desde a primeira vez que vi!!!

É outro episódio onde a gente pode ver a Scully tocada com tudo o que está acontecendo com as mulheres atacadas pelo assassino (não lembro o nome dele agora). Ela é inclusive uma das escolhidas para ser supostamente salva.

Achei super-interessante como o Mulder, assim que olha a foto revelada na loja, descobre que Scully é a próxima e sai correndo em direção ao carro. No entanto, é tarde demais. Ela já havia sido raptada.

Mulder fica desesperado (como sempre!) e começa a busca por sua parceira. Descobre, depois de muito pensar, que os "seis dedos" não são dedos, mas sim as lápides no cemitério. Ele e o resto dos policiais vão até o cemitério e ele descobre o trailer onde Scully está quando olha para o chaveiro na ignição do trailer... Começa a quebrar o vidro e Scully consegue gritar!!! Finalmente Mulder entra e atira no assassino que cai morto exatamente como em sua última foto.

Vale lembrar que, como a própria Gillian Anderson fala, a cena em que ela descobre que o cara com as pernas de pau é o assassino é ótima!!! Ficou super-interessante!!!

 

O lar

Esse episódio valeu pela conversa de Mulder com Scully sobre família. Scully fala sobre as expectativas de uma mãe a respeito de seu futuro filho. Outra coisa legal nesse episódio é ver a Scully lutando!!! Adoro vê-la lutando!

Enfim, falando de novo sobre a conversa deles... Mulder fala para Scully que tudo o que ela tem que fazer para começar uma família é encontrar "um homem que tenha uma história genética perfeitamente normal e uma alta tolerância a críticas e começar a produzir pequenas Scullys..." Ela pergunta sobre a família dele e ele diz: "Fora a necessidade de uso de lentes corretivas e a tendência de serem abduzidos por seres extraterrestres, os membros da família Mulder têm características genéticas normais."

Só essas frases já dizem tudo para os dois ficarem juntos, não é??? Hehehehe

Depois o Mulder fala para Scully que nunca a imaginou como mãe antes... Lindo! (Provavelmente ele já deve tê-la imaginado como outras coisas, não???)

 

Teliko

O campo onde eu morri

Sanguinário

Meditações sobre um Canceroso

Corações de pano

Tunguska - A pedra da morte I

Terma - A pedra da morte II

O mundo gira

Oração para um morto

 

Nunca mais

Never Again eh um episodio que divide uma faccao muito grande pessoas! Algumas simplesmente adoram e outras odeiam! Eu gostei do episodio!!! Como todo mundo ja deve ter percebido, eu sou uma Scullyista e adoro episodios centrados na Scully. Enfim, muitos acham que o episodio foi off-character, mas eu achei que ficou bem interessante o modo como ele foi sendo levado (apesar de nao ter passado na ordem correta). Eu achei shipper principalmente as conversas entre os dois agentes. Ficou obvio que o Mulder ficou com ciumes quando a Scully disse que tinha um encontro. Tudo bem que talvez ela tenha ido ao tal encontro somente como uma forma de se vingar pela expressao nada amigavel do MUlder,mas de qualquer forma ela foi e se encontrou com o Ed Jerse!

No encontro, vemos uma Scully revelando segredos seus de uma forma muito interessante e vemos porque tambem ela continua com o Mulder apesar de tudo o que ja lhe aconteceu. Ela gosta de homens dominadores e fortes. Ela precisa deles. Bom, gente, nao vou dizer mais nada... hehehehe

Enfim, todo aquele rolo com a tatuagem falante do Ed acontece, a Scully eh quase morta e quando ela finalmente volta ao FBI, vemos um Mulder totalmente hostil.

Ele pergunta: "Tudo isso porque eu nao te dei uma mesa?"
Scully: "Nem tudo eh sobre voce, Mulder. Esta eh a minha vida."
Mulder: "Eh, mas..."

Bom, o episodio termina ai, mas convenhamos... Ele ia dizer: "Eh, mas a sua vida se tornou a minha vida tambem, Scully." Voces nao acham? :)

 

O homem do câncer

 

Lembranças finais

Ontem eu assisti pela primeira vez a esse maravilhoso episódio!!! É chocante e emocionante. É incrível como a Scully age como se nada estivesse acontecendo e é uma das poucas vezes que a vemos se mostrar tão fragilizada a Mulder.

O episódio começa com a Scully falando o que está escrito no seu diário e é incrível como ela o está escrevendo para Mulder, mesmo não querendo que ele leia. Ela sente necessidade de escrever-lhe o que ela não pode falar. Não é da pessoa dela demonstrar sentimentos dessa forma. Mesmo para Mulder. Enfim, é ele a primeira pessoa a descobrir da doença dela. Talvez ela o tenha escolhido porque sabia que ele não sentiria pena dela, ou se sentisse, não demonstraria.

A cena em que ela diz a ele da doença é ótima e os dois demonstram (atuam) perfeitamente. Acho que essa cena demonstrou toda a personalidade do personagem de cada um deles.

Em outra parte, Mulder vai até uma espécie de laboratório (esqueci o nome agora) e encontra óvulos da Scully lá e fica admirado do tanto de mulheres que têm seus óvulos depositados ali. Quando ele chega no hospital e não vê Scully, ele fica desesperado e vai atrás dela, temendo que o pior tenha acontecido. Mas ela está ao lado de outra abduzida (embora Scully não admita) que está morrendo do mesmo câncer que a está consumindo. Mulder se mostra aliviado por ela ainda estar viva.

Ao sair do quarto, vemos Scully chorando (raríssimo) e demonstrando sua fraqueza a Mulder (mais raro ainda). Ele pede desculpas por ter entrado no quarto sem mais nem menos, só estava preocupado. Ela vem para perto dele e diz que vai continuar a trabalhar. Eles se abraçam e ela sai para trocar de roupa (acho eu!).

Esse episódio mostrou toda a fraqueza de Scully e toda a confiança que ela deposita nele. Episódios tristes são sempre os melhores... Infelizmente.

 

Desprezado

Lapso de tempo I

Lapso de tempo II

Sincronia

 

Insignificâncias

Esse episódio é super-engraçado. Gostei!!! O ator que fez o Eddie Van Blundht é demais e a voz dele é ótima!!! (A original do ator... Assisti a esse episódio com som original, people...)

Enfim, o Eddie pode mudar de cara. Ele então vai até a casa da Scully como Mulder (enquanto o pobrezinho está preso... Como ele saiu de lá???) e ele e Scully bebem vinho. Scully se diverte e conta sua vida ao "Mulder-Eddie". Este inclina-se para beijar Scully e ela deixa. Não sai!!! Tá certo que não é o verdadeiro, mas e se fosse???? Na hora que as bocas iam se encontrar, o verdadeiro Mulder chega... Que bom!!!

No final, Eddie, depois de preso, chama Mulder e lhe diz que ele já nasceu um perdedor/fracassado, mas o Mulder o é porque quer. Mulder sai e encontra Scully que diz:

Scully: "Não sei se preciso dizer isso a você, Mulder. Mas você não é um perdedor."
Mulder: "Também não sou Eddie Van Blundht either, am I?"

Ou seja, ela ia beijar o Eddie, mas não ele... Como ele pode pensar assim dela??? Impossível!!! Ela só beijaria o Mulder. Nunca o Eddie na forma original dele, não acham???

Ah! Uma parte super engraçada no começo do episódio é a cara dos dois agentes quando a moça que acabou de ter uma menina com rabo diz que o pai é Luke Skywalker!!!! E a Scully ainda pergunta sobre o sabre de luz... Demais...

Não restou mais nada (Zero Sum)

 

Elegia (Elegy)

Nesse episódio vemos a Scully assustada com seu câncer e ficamos sabendo exatamente como ela se sente em relação ao Mulder. Tem medo de desapontá-lo, de não poder continuar a busca com ele.

É incrível a preocupação do Mulder quando sai sangue do nariz dela... Ele fica tão triste!!! Já no final, quando ela volta e o ajuda a descobrir o resto das coisas que está investigando, ela confessa a ele que viu a garota morta antes que soubesse.

Um pouco antes, Mulder havia dito que as pessoas que estão morrendo podem ver outras pessoas mortas... Assim, Mulder fica muito chateado por ela não ter lhe contado antes. E lhe pergunta porque não confia nele. Ela diz que não queria e não quer acreditar. Ele então diz que dessa forma ela o está traindo e não o ajudando e nem deixando-o ajudá-la...

Aí vem uma das falas mais tocantes do Mulder para Scully: "Eu sei do que você tem medo. E eu tenho tanto medo disso quanto você."

Ela sai do carro e vemos Scully chorando silenciosamente no carro (quase nunca a vemos tão vulnerável...). Um pouco depois, ela vê o doente mental que acabou de morrer...

 

Demônios (Demons)

Aqui o Mulder não lembra de nada do que fez. Nesse episódio, vemos Scully tomando conta de Mulder. Vê se tem febre, se tem alguma doença. Inclusive o vê nu quando ele está na banheira tentando se esquentar!!!

Ela também luta para tirá-lo da cadeia e consegue... No final, Mulder está pensando em se matar depois de tudo o que viu e ouviu em suas alucinações e chega até a apontar a arma para Scully, mas por fim, se contém e dispara vários tiros para a parede...

 

A maior das mentiras (Gethsemane)

Aqui começa toda a saga de mentiras da Scully a respeito da morte do Mulder. O mais interessante nesse episódio é a parte em que Scully sai de sua casa, de sua família para encontrar Mulder, simplesmente porque não quer que sintam pena dela. E ela sabe que Mulder vai continuar tratando-a da mesma maneira de sempre.

Enfim, quando se encontram, ela diz que não pode ir com ele. Mas ela mente sobre o motivo pelo qual não vai junto. O motivo é que ela está doente. Que o seu câncer está em metástase (espalhando-se pelo corpo).

Outra parte interessante é o motivo pelo qual ela acreditou na história contada por Michael Kritschgau, de que seu câncer foi dado para fazer Mulder acreditar. E isso é o que destrói Mulder por dentro. Ele se sente tão culpado que efetivamente pensa em se matar (acho que sim, porque ele pegou a arma e ficou olhando pra ela.) ou então em matar o Canceroso ou alguém do sindicato. No mesmo momento ele recebe o telefonema de Kritschgau que diz que Mulder está sendo espionado e ele olha pra cima e vê o buraco no teto.

Bom, basicamente é isso. Depois tem os dois episódios que continuam esse, Redux 1 e 2.